Vida e família

Quer fazer o seu estágio no estrangeiro? Saiba o que deve ter em consideração

Se está a pensar fazer um estágio no estrangeiro conheça que programas existem, que apoios pode ter, e como pode estagiar além fronteiras sem apoio.

Autor Externo Autor Externo , 11 Março 2020

Fazer um estágio no estrangeiro pode trazer inúmeras vantagens a nível profissional, mas também a nível pessoal. Ao estagiarem fora de Portugal, os jovens melhoram a sua capacidade de adaptação a novos desafios, estabelecem contatos profissionais e adquirem conhecimentos no mercado internacional, mas também enriquecem o seu currículo.

No entanto, nem sempre é fácil conseguir fazer um estágio no estrangeiro através de uma bolsa de estudo. As vagas são limitadas, e sem financiamento externo existem vários fatores a ter em consideração.

Neste artigo explicamos o que precisa saber sobre os apoios existentes para fazer um estágio no estrangeiro, e que soluções viáveis existem quando não consegue apoio financeiro.

Fazer um estágio no estrangeiro com financiamento europeu

Se está a ponderar fazer o seu estágio profissional no estrangeiro é essencial que visite o site da Comissão Europeia, na área de educação e juventude. É através do programa Erasmus + que os jovens podem estudar no estrangeiro, mas também efetuar um estágio curricular, entre outros tipos de estágio, como os extra-curriculares ou para recém graduados.

Entenda-se que o programa Erasmus+ apoia a realização de estágios no estrangeiro para estudantes que estejam matriculados em instituições de ensino superior nos níveis de licenciatura, mestrado ou doutoramento. No entanto este só é válido para estudantes que estudem em países que façam parte do programa, como é o caso de Portugal. Os jovens que tenham concluído os níveis anteriores recentemente também poderão beneficiar deste apoio.

Para além destes, podem também vir a ter apoio deste programa para efetuar um estágio no estrangeiro os estudantes matriculados no ensino e formação profissionais (EFP), e os aprendizes em contexto laboral, e os recém-diplomados no ensino e formação profissional.

Os estágios para os estudantes de licenciaturas, mestrados e doutoramento tem a duração entre 2 a 12 meses. Já para os estudantes do ensino de formação profissional tem a duração entre 2 semanas e 12 meses.

Se pretende fazer um estágio através do Erasmus+ planeie com antecedência

O programa Erasmus+ tem uma forte procura entre a comunidade jovem de vários países. Por isso é essencial começar a planear com antecedência a sua inscrição.

Em primeiro lugar deve certificar-se que está matriculado numa instituição de ensino titular de uma Carta Erasmus+ para o ensino superior. Depois não se esqueça que para estagiar ao abrigo deste programa, o seu estágio tem que ser relevante para a sua aprendizagem e desenvolvimento pessoal, bem como estar integrado no programa de estudos.

Depois, antes de formalizar a sua candidatura terá que procurar uma entidade de acolhimento, empresa onde fará o seu estágio no estrangeiro, que aceite a sua candidatura. Por norma a maioria das empresas pedem que os candidatos escrevam um carta de apresentação, onde conste os seus objetivos, motivo de escolha dessa entidade, e o tempo previsto para o estágio. Para além da carta deve enviar o seu currículo atualizado. Todos estes documentos devem ser redigidos em inglês.

Lembre-se que pode pedir para efetuar o seu estágio em qualquer empresa de um país abrangido por este programa, no entanto não pode estagiar em instituições, organismos e agências da União Europeia. A sua candidatura ao estágio só será aprovada se receber uma carta de aceitação da empresa em questão.

A candidatura e o acordo de aprendizagem

Após submeter as suas candidaturas às empresas selecionadas para realizar o seu estágio, deve dirigir-se ao gabinete de apoio ao aluno da instituição de ensino superior que frequenta. É através do gabinete de apoio que deve esclarecer as suas dúvidas quanto à candidatura ao Programa Erasmus+.

Quanto tiver sido aceite numa empresa para estagiar deverá ser feito um acordo de aprendizagem entre si, a sua instituição de ensino superior e a empresa onde vai estagiar. É através deste acordo que se estabelece o programa de estágio e o devido reconhecimento do mesmo, bem como as responsabilidades dos intervenientes, direitos e regalias.

O acordo de aprendizagem deve ser assinado pelos três intervenientes. Este acordo é um vinculo contratual entre todas as partes, e serve como comprovativo. A instituição de ensino tem que reconhecer o período de estágio, segundo o que está estabelecido neste acordo. É importante ainda acrescentar que não podem ser pedidos requisitos adicionais para além do acordo e certificado do estágio.

A aprovação no programa Erasmus + e o direito à bolsa para o estágio no estrangeiro

A sua aprovação no programa Erasmus+ só será oficial quando receber a Carta de Estudante Erasmus+. É nesta carta que estão enumerados todos os direitos que irá ter no seu estágio, e os deveres que terá com a empresa de acolhimento.

Em relação ao tão desejado financiamento por este programa, a verdade é que não existe maneira de saber se lhe será atribuída ou não uma bolsa para o seu estágio. A partir do momento que é aceite no programa, fica habilitado ao apoio financeiro deste programa.

Todos os estagiários aceites no programa Erasmus+ estão habilitados a receber uma contribuição para as suas despesas. Esta contribuição pode cobrir despesas da viagem, estadia, apoio para a realização do estágio, os ajuda de custos na diferenciação do custo de vida entre o país de origem e o país de destino.

A atribuição da bolsa de mobilidade irá depender da diferença de custo de vida, da distância entre países, número de candidatos à bolsa, e se estes têm acesso a outros bolsas.

Ler mais: Quanto custa fazer um Erasmus? Prepare o seu orçamento

Outras formas de apoio financeiro para um estágio no estrangeiro

A bolsa de mobilidade do programa de Erasmus+ não é a única forma que existe de ter uma ajuda nas despesas do seu estágio no estrangeiro. Se precisa mesmo de apoio financeiro fale com o gabinete de apoio da sua instituição de ensino superior. Embora muitas universidades não tenham por habito atribuir esse tipo de apoio, nunca se sabe a ajuda que lhe podem dar.

Para além da sua universidade, algumas empresas estrangeiras oferecem boas condições aos seus jovens estagiários. Por isso quando estiver a fazer a seleção de empresas a estagiar tente informar-se sobre a existência desses apoios.

Por fim pode inscrever-se no site do Guia europeu de financiamento. Para além da vasta informação que pode aceder, neste site constam várias ofertas de estágios remunerados em diversos países, e outro de apoios financeiros.

E se fizer um estágio no estrangeiro sem qualquer tipo de apoio financeiro?

Efetuar um estágio no estrangeiro sem qualquer tipo de apoio financeiro pode exigir alguns sacrifícios pessoais. Por isso é muito importante começar a planear com muita antecedência tudo o que irá envolver o seu estágio.

Faça um levamento sobre o custo de vida nos países onde ambiciona estagiar. Para quem já estudou através do programa de Erasmus sem apoio financeiro, as despesas não vão ser muito diferentes das que tinha. Caso nunca tenha estado sozinho no estrangeiro, deve fazer um orçamento com as despesas que terá com habitação, viagens, alimentação, despesas fixas e variáveis, deslocações para o estágio, etc.

É importante ter consciência que estagiar no estrangeiro é um investimento que está a fazer a pensar no seu futuro. Como tal, esse investimento vai exigir algum sacrifício até conseguir um montante inicial para cobrir as suas despesas.

Para conseguir levar algum dinheiro consigo nesta nova etapa é importante que crie uma conta poupança com alguma antecedência. Caso não tenha dinheiro de parte, talvez seja prudente arranjar um part-time durante a universidade que lhe permita juntar algum dinheiro. Outra forma de poupança é não usar o dinheiro que lhe dão no seu aniversário e natal e colocar num mealheiro físico ou no banco.

Para os estudantes que não têm apoios financeiros, os estágios remunerados devem ser vistos como prioritários nas pesquisas. Esta é a solução mais fácil para fazer face às suas despesas enquanto estiver no estrangeiro.

Por fim, se o estágio não for em regime full-time ou se tiver folgas ao fim de semana, poderá arranjar um trabalho a part-time no país de destino. Pode não ser a situação ideal que imaginou, mas é uma forma de conseguir atingir o seu objetivo.

Ler mais: Dicas para encontrar alojamento para estudantes de Erasmus

Como encontrar um estágio no estrangeiro na sua área

Hoje em dia a oferta de estágios no estrangeiro é muito vasta, e não faltam sites com ofertas atualizadas diariamente nos mais variados países. No entanto é aconselhável procurar estas ofertas em sites credíveis, para não ter surpresas desagradáveis.

Um dos sites aconselhado pela comissão europeia é o erasmusintern, que agrega várias ofertas de estágios em diversos países. Este portal foi desenvolvido pela Rede de Estudantes de Erasmus e é uma óptima ajuda para encontrar um estágio na sua área profissional.

Contudo existem inúmeros sites fidedignos para esse fim, como o estagiar.pt, VidaEdu, entre tantos outros sites portugueses e estrangeiros.

Tenha sempre em mente o objetivo final

Por vezes o caminho para atingir os nossos objetivos é um pouco mais longo e difícil do que aquilo que esperávamos. Por isso é fundamental não nos desviarmos do foco principal, e da importância que pode ter na nossa vida.

Se pretende fazer um estágio no estrangeiro lembre-se sempre do quão importante é este passo para a sua vida profissional. Reunir competências além fronteiras pode ser muitas vezes um fator diferenciador na seleção de candidatos a uma vaga de emprego em Portugal, mas também em outros países.

Para além disso, esta experiência no estrangeiro pode melhorar a sua comunicação em línguas estrangeiras, o que hoje em dia é fundamental no mercado de trabalho.

Por fim durante o seu estágio tente aprender o máximo que puder. Aprenda com os outros profissionais, com o trabalho que lhe é dado, mas também com os métodos aplicados na própria empresa. Se o objetivo passa por trabalhar no estrangeiro, sem dúvida que um estágio pode acabar por virar o seu primeiro emprego. Por isso dê o seu melhor, cumpra os objetivos propostos, e pode ser que o resultado seja melhor do que aquele que esperava.

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *