Finanças pessoais

Como evitar a falência: algumas dicas úteis

As compras por impulso são uma das muitas razões para que se dê uma falência, pois o dinheiro não é gerido da maneira mais eficiente. Atente nestas dicas!

Autor Externo Autor Externo , 29 Fevereiro 2020

Gerir bem os rendimentos sejam eles passivos ou ativos, é meio caminho para manter um orçamento familiar equilibrado. Estas gestão afasta a possibilidade de contrair dívida ou mesmo de cair em falência.

Poupar e Investir são dois conceitos que devem andar sempre lado a lado. Mas sabemos que nem sempre é fácil ter estes dois instrumentos de finanças pessoais em linha.

Os hábitos de poupança e investimento devem ser estimulados desde tenra idade e no seio do agregado familiar, estas preocupações devem estar sempre que possível muito presentes. 

No entanto, existem famílias que pelos mais variados motivos, desequilibram o seu orçamento familiar, correndo o risco de em muitas situações, enfrentarem casos de falência iminente. 

Leia ainda: Como pode investir na agricultura e criar o seu negócio

Saiba como é possível evitar que situações do género ocorram, colocando em risco todo um património que demorou muito tempo a constituir.

Sorte ou Azar?

São muitas as pessoas que na perspetiva de terem uma vida melhor em termos financeiros e não só, apostam uma grande parte do rendimento em jogos da sorte e de azar: casinos, raspadinhas, lotarias…

Estes jogos sociais, são muitas vezes uma ratoeira para entrar numa espiral de endividamento. Isto porque se o dinheiro é canalizado para esse fim, por certo vai faltar onde é mais preciso. 

A riqueza é sempre alicerçada numa ótica de bons investimentos, mesmo ao nível de alguns produtos financeiros. Informe-se sobre as diversas possibilidades e aconselhe-se com os especialistas da área: é sempre preferível construir um pecúlio assente em aplicações com regras simples e claras do que estar a apostar no vazio. 

Atenção ao consumismo 

Comprar coisas só por comprar ou como manifestações de satisfazer desejos pessoais nunca é boa estratégia. Devemos comprar sempre artigos, bens ou serviços que são necessários e cuja prioridade é fundamental. 

Por isso, antes de avançar para a compra seja do que for, analise bem a falta que ele lhe está a fazer ou se pelo contrário aquela compra pode esperar para uma ocasião mais favorável. 

Educação Financeira: um pilar importante

A má gestão e organização das finanças pessoais está muitas vezes relacionada com a falta de formação na área da literacia financeira. 

Aprender a lidar com o dinheiro, usar o mesmo de uma forma séria e responsável são passos que se conseguem quando se aposta numa boa formação em literacia financeira. 

Ao investir na educação financeira, não está apenas a acautelar o seu presente mas também a salvaguardar o seu futuro.

Leia ainda: 5 razões porque deve investir na sua educação financeira

Evitar a ostentação

Este aspeto tem uma relação direta com o factor consumismo, uma vez que na maior parte dos casos, compram-se artigos, bens, serviços que não precisamos apenas com o intuito de ostentar, de mostrar que se tem. 

Ora, ao preferir entrar por esta estratégia deixa de haver margem de manobra para canalizar o dinheiro para as poupanças e para possíveis investimentos. 

Repense as suas prioridades.

Planificar para Poupar

É essencial saber porque razão se está a investir e também o que nos leva a poupar. 

Planificar e traçar metas, vai ajudar a clarificar o caminho a seguir, pois quando se tem objetivos de poupança e investimento, todo o esforço tem uma razão de ser. 

A palavra chave é disciplina para cumprimento dessas metas. 

Crédito Consolidado

Por último, mas não menos importante: o crédito consolidado. Esta pode ser a derradeira solução para evitar a falência. Ao consolidar os seus créditos, pode reduzir as suas prestações mensais até 60%. Esta solução concretiza-se na junção de todos os seus créditos, convertendo-os num único crédito com melhores condições, com uma taxa menor e um prazo de pagamento fixo.

Saiba mais sobre esta alternativa que o pode salvar da falência. Informe-se connosco.

Leia também: Crédito Consolidado: tudo o que precisa de saber

Lembre-se: se o dinheiro for bem gerido e melhor canalizado é, sim, possível evitar uma situação de falência pessoal.

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *